A PARATOPIA EM “FELIZ ANO VELHO” : LINGUAGEM E TRANSMIDIAÇÃO

Este trabalho analisa sob a óptica linguístico-discursiva, baseada em discussões propostas por Dominique Maingueneau, como a produção literária dos anos 1980 teve uma contribuição direta para o tipo de linguagem literária que observamos na atualidade. Com a ascensão dos blogs, Twitter e outras redes sociais, é normal se observarem muitos gêneros literários que são entendidos como novos, mas todo discurso, por mais que se renove, é carregado de memória. Logo, é um trabalho que pretende entender não uma origem, mas um como, ou seja, como essa fase literária contribuiu para essa atual linguagem. Para isso, delimita-se como corpus o livro Feliz Ano Velho, obra que ficou popularizada na década referida e que tornou conhecido o escritor Marcelo Rubens Paiva. Analisaremos as transmidiações da obra à luz da noção de paratopia proposta por Dominique Maingueneau (2012), que prevê o entrelaçamento complexo entre três instâncias – pessoa, escritor e inscritor – que se põem em funcionamento na constituição de uma autoria, dando a ver que o autor é parte fundamental de uma rede ou de redes que o instituem como tal.

 

Palavras- chave: discurso literário; paratopia criadora; efeitos de transmidiação; década de 80; literatura contemporânea

trabalho completo